Designação do Percurso
Concelho
Grau de Dificuldade
Extensão
Duração
Acessibilidade / Mobilidade Reduzida

 

<< Voltar aos Resultados

Moinho da Figueira

Descrição do Percurso / Pontos de interesse:

O início do percurso é feito na Praça D. Maria Gertrudes Pires, área central da pacata, simpática e pequena aldeia de Santo Amador. Em frente a esta Praça situa-se a Igreja local e a Torre do Relógio. Próximo da praça, através da Rua dos Açores poderá visitar o Museu do Rio, construído através da memória, tentando recuperar os pequenos gestos, artes, olhares do conhecimento da população.
Seguir pela Estrada Municipal 517, sempre em frente, percorrendo cerca de 2 Km e no final do caminho de alcatrão virar à esquerda pelo caminho de terra avistando o Rio Ardila.
A poucos metros encontra-se um parque de merendas, numa pequena área arborizada, que permitirá descansar e avistar o antigo porto de Santo Amador.
Passando o parque de merendas, poucos metros mais à frente, localiza-se o antigo Moinho da Figueira, nas margens do Ardila onde ainda hoje é possível encontrar uma das mais ricas e complexas redes de moinhos para a moagem do cereal.

Nesta zona existiu em tempos o porto de Sto. Amador, local de atravessamento do rio Ardila por barco, embarcação construída à medida das margens e do fundo do rio. Este porto assegurava a ligação entre as duas margens do Ardila, uma vez que o caminho de pé posto existente nesse local, ficava submerso uma parte do ano.




Concelho : Moura
Extensão : 2,82 Km
Dificuldade : Baixa
Tipo de percurso : Linear
Sinalética : Percurso não sinalizado
Tipo de piso : misto
Traçado do percurso : (ficheiro para Google Earth)
Traçado do percurso : (ficheiro para GPS)
Coordenadas (início do percurso) : Lat. 38º 8'14.21'' N Long. 7º18'31.88'' W

Características

Na envolvente da aldeia e ao longo do percurso, predomina a paisagem de azinho e sobro.
Esta área encontra-se integrada em Rede Natura 2000, na ZPE Moura/Mourão/ Barrancos e no sítio Moura/Barrancos.
O Sítio apresenta uma apreciável diversidade fisiográfica e geológica, possibilitando a ocorrência de diversas comunidades vegetais. O ancestral uso agrícola e pastoril do território acentua o mosaico, diversificando a paisagem.
A nível das espécies piscícolas, é um dos Sítios mais importantes na conservação de espécies piscícolas autóctones, como o saramugo (Anaecypris hispanica), a cumba (Barbus comiza), a boga-de-boca-arqueada (Rutilus lemmingii) e a boga-do-Guadiana (Chondrostoma willkommii), entidade descrita a partir da boga (Chondrostoma polylepis).
O percurso desenvolve-se ao longo de um troço do rio Ardila, no qual a vegetação ripícola introduz maior diversidade de habitats.
Área importante para numerosas aves dependentes dos agrossistemas ibéricos de feição estepária e também para diversas aves de rapina. Uma das zonas mais importantes de invernada do grou (Grus grus) em Portugal.
Entidade responsável : Câmara Municipal de Moura www.mouraturismo.pt