Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização.

Rota Vicentina apela à co-responsabilização dos seus visitantes

Neste Verão de 2020, em que Portugal enfrenta sérios constrangimentos à forma como viaja, é com surpresa e uma profunda satisfação que a Rota Vicentina testemunha tão grande interesse e adesão aos trilhos pedestres e ciciáveis e ao usufruto do magnífico Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina por parte dos portugueses, bem como de alguns turistas estrangeiros que continuam a chegar.

É, no entanto, com forte preocupação que os habitantes locais constatam uma crescente tendência do campismo e caravanismo selvagem nas falésias e praias da região, parqueamento abusivo em parques de estacionamento urbanos e das próprias praias, terrenos privados e áreas onde a sua circulação é inclusive proibida, com as respectivas consequências ao nível de impactos paisagísticos, ambientais e sociais.

Entendendo que cada um acredita na sua pegada-zero, a realidade é que a dimensão do fenómeno já ultrapassou há muito a real capacidade de carga da região, e passou a ser frequente encontrar lixo e dejectos humanos ao longo da costa.

A sustentabilidade é a grande motivação do trabalho desta Associação de agentes e habitantes locais, por isso a Rota Vicentina lança esta semana um apelo concreto à co-responsabilização dos visitantes a esta região, através de uma nota de imprensa a toda a comunicação social e a reactivação de uma campanha de comunicação nas suas redes sociais.

Esperamos que possa assumir também o compromisso da partilha desta mensagem, para que os comportamentos daqueles que nos visitam sejam mais conscientes e para que esta costa tão selvagem assim possa permanecer por muitos anos.