Novos apoios europeus às PME afetadas pela pandemia



A Comissão Europeia (CE) aprovou um novo produto financeiro que irá apoiar as Pequenas e Médias Empresas (PME) afetadas pela pandemia de COVID-19, em 22 Estados-membros participantes, entre os quais Portugal.

Serão mobilizados pelo menos 13 mil milhões de euros de novos empréstimos ao abrigo do Fundo Europeu de Garantia, conforme COMUNICADO esta semana.

“A Comissão Europeia aprovou, ao abrigo das regras da UE [União Europeia] em matéria de auxílios estatais, a introdução de um novo produto sob a forma de garantias em tranches de titularização” lê-se no comunicado.

O produto tem um orçamento previsto de 1,4 mil milhões de euros, sendo que “espera-se que mobilize pelo menos 13 mil milhões de euros de novos empréstimos” às PME afetadas pela COVID-19.

Criado ao abrigo do Fundo Europeu de Garantia, gerido pelo grupo do Banco Europeu de Investimento (BEI), o produto vai apoiar as empresas nos 22 Estados-membros participantes, entre os quais se encontra Portugal.

“Este novo produto contribuirá significativamente para o objetivo global do Fundo Europeu de Garantia, com a mobilização de 200 mil milhões de euros para a economia europeia, o que ajudará a gerar pelo menos 13 mil milhões de euros de novos empréstimos de intermediários financeiros às PME gravemente afetadas pelo surto de coronavírus”, afirma a vice-presidente executiva Margrethe Vestager, citada na nota, acrescentando que Bruxelas continua a trabalhar para a recuperação da crise provocada pela pandemia.

O Fundo Europeu de Garantia foi aprovado em abril do ano passado sob a gestão do Grupo BEI, como resposta da União Europeia à pandemia.

Desde então o Grupo BEI (entre o próprio BEI e o Fundo Europeu de Investimento) já aprovou 17,8 mil milhões de euros em projetos ao abrigo do Fundo Europeu de Garantia.

© 2021 Copyright: DSTIC | CCDR Alentejo